jusbrasil.com.br
17 de Novembro de 2017

Cunha renuncia à presidência da Câmara

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) renunciou nesta quinta-feira (7) à presidência da Câmara dos Deputados. Ele anunciou a decisão em uma coletiva de imprensa.

Wagner Francesco ⚖, Estudante de Direito
Publicado por Wagner Francesco ⚖
ano passado

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) renunciou nesta quinta-feira (7) à presidência da Câmara dos Deputados. Ele anunciou a decisão em uma coletiva de imprensa.

Cunha renuncia presidncia da Cmara

Agora, a Casa tem cinco sessões para realizar novas eleições para o cargo.

Sua renúncia vinha sendo especulada nas últimas semanas. Cunha quer um acordo dos líderes para antecipar eleição da Câmara para o início da próxima semana. O nome pelo qual ele tem predileção para ocupar o mandato tampão pelos próximos meses é do deputado Rogério Rosso (PSD-DF), mas há pelo menos 12 candidatos informais na Casa para disputar o pleito.

Os boatos de que Cunha vai renunciar ainda hoje já fizeram com que deputados da Casa começassem a se movimentar. No PRB, por volta de 12h já ocorria uma reunião para articular um candidato à eleição do mandato tampão.

A decisão de enfim deixar o cargo em definitivo ocorreu em reunião na noite de quarta (6), após a divulgação do voto de Ronaldo Fonseca (Pros-DF) na Comissão de Constituição e Justiça, que acatou apenas um dos 16 questionamentos de Cunha à tramitação de seu processo no Conselho de Ética, que recomendou a cassação de seu mandato.

Com a renúncia à Presidência da Câmara, Cunha acredita que pode tentar reverter votos na CCJ para fazer o caso voltar ao Conselho de Ética e, quem sabe, salvar seu mandato.

Fonte

41 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Vivia dizendo que não era covarde para renunciar.
... Renunciou.

Covarde. 👎 continuar lendo

Não vi como covardia, na verdade ele deveria fazer isso mesmo e não somente, tem que entregar o cargo de deputado federal também. continuar lendo

Marcos Rabelo, ele está fazendo isso justamente para não renunciar ao mandato e já tem até candidato a presidência que deixará, que se eleito muito provavelmente será apenas um fantoche, e vai continuar tudo na mesma. Espero que a comissão de ética não caia nessa e casse o mandato. continuar lendo

Covardes todos (os mesmos) são e oportunistas idem.
No meu modo de ver, aparentemente perdeu toda a força que poderia ter para manter seu mandato.
O que leva a crer que pode existir algum acerto para a facilitação na eleição do novo presidente e que de alguma forma poderá beneficia-lo.
De cobra, o que se espera é o bote. continuar lendo

Entre um covarde e um "malandro" a distância é curta.
Infelizmente são os modelos de comportamento da maioria.

Poucos querem estudar e trabalhar, mas muitos querem ser como Cunha.
E esse é o nosso Brasil: o filho da p*** para uns, é "o cara" para outros. continuar lendo

Na verdade foi uma manobra para ser julgado pelo Gilmar Dantas, seu sócio. continuar lendo

Malandro fez isto em mais uma tentativa de se livrar da cassação, acho que o cara ainda deve ter trunfos na cartola!! rs continuar lendo

É uma queda de braços. Louvável que saia de cena um político como ele, que não tem condições mínimas para presidir uma das casas do legislativo. Mas, assim como a aceitação do processo de impeachment, sua queda também se dá por motivos equivocados (faz-se o certo, mas a razão explicitada não corresponde com a realidade). Explico: Dilma caiu (está caindo) por causa de envolvimentos de corrupção, desídia, omissão, leniência com quem destrói o patrimônio público, por uma eleição mentirosa e com dinheiro ilícito, e não pelas pedaladas única e simplesmente.
Se a queda de Eduardo Cunha fosse por motivo de corrupção ou afins, obviamente, Renan Calheiros já não deveria estar à frente do Senado há muito tempo (Renan tem quase o dobro de inquéritos que Eduardo Cunha e também é denunciado).
A questão é clara como o Sol: Dilma e o PT se comprometeram a salvar o mandato de Cunha caso ele recusasse prosseguir com o impeachment. O acordo foi feito, mas o PT não teve força suficiente para assegurar a permanência de Cunha (até porque o próprio partido parecia rachado quanto a isso). Cunha, portanto, aceitou o impeachment - apenas na parte que lhe convinha, afastando questões que poderiam complicar ele próprio -. Dilma e o PT, como represália, passaram a atacá-lo reiteradamente, de todas as formas... Deu no que deu! Aparentemente, os dois morrerão abraçados. continuar lendo

As hienas são canibais. continuar lendo

E o Lula e Dila tinham? continuar lendo

Oportunidade de negocio para Chanel, Dior, Balenciaga e Louis Vuitton ....começarem a fabricar tornozeleiras eletrônicas ....tem mulher de renunciante que vai adorar a novidade!!!

Um salve a Lava Jato!!! continuar lendo

Até que enfim! Eduardo Cunha sacrificou os anéis na tentativa de não perder os dedos. Renunciou a presidência da Câmara na expectativa de conservar o mandato parlamentar, que lhe assegura o famigerado foro por prerrogativa de função, vulgarmente conhecido como foro privilegiado. Vamos ver agora se o plenário da Casa vai ou não lhe cassar o mandato. Se não cassar, temos aí o sinal de mais um “acordão” envolvendo, inclusive, o Palácio do Planalto. A propósito, Cunha se reuniu algumas vezes com Michel Temer nas vésperas da renúncia. Só para lembrar. continuar lendo

É evidente que há um acordo. Todos sabemos do poder que o presidente da casa tem. Cunha não abriria mão de um poder sem nada em troca... continuar lendo